• Consulta de cursos, instituições de ensino e atribuições







  • Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por e-mail.

    Junte-se a 179 outros seguidores

  • Arquivos

Inovador: confira 10 características essenciais do empreendedor de sucesso


Embora empreender e criar seu próprio negócio seja o sonho de muita gente – e mesmo com o fácil acesso à tecnologia causando um verdadeiro boom de startups –, nem sempre é simples fazer esse tipo de projeto dar certo. Aparentemente, para ter sucesso nessa área, não basta trabalhar dezenas de horas extras semanais na empreitada e esperar pelo melhor: é preciso que o empreendedor abrace a inovação em suas mais variadas formas.

De acordo com uma compilação feita pelo site Entrepreneur, um perfil exemplar para essa posição – com potencial superior de transpor eventuais barreiras – possui uma série de características específicas, que vão desde a capacidade de avaliar diferentes caminhos para um produto a ter um nível tão alto de confiança que chega a beirar a arrogância. Será que você traz dentro de si o que é necessário para ser um inovador no seu ramo? Confira a lista abaixo com os dez itens tidos como essenciais para a profissão:

1. Padrões. Padrões por todos os lados

O recurso mais desejado e citado como de primeira importância em um empreendedor é a facilidade de perceber padrões em praticamente qualquer situação. Com isso, fica mais fácil traçar paralelos que não costumam ser enxergados por pessoas comuns, descobrir chances de inovação em potencial e prever possíveis turbulências ao longo do caminho.

2. Uma pitada de preguiça!

Ter preguiça de fazer algo não é exatamente algo ruim, principalmente se o sentimento estiver relacionado a encarar processos tradicionais ou burocráticos na hora de tocar os negócios. “Eu sempre escolho uma pessoa preguiçosa para fazer um trabalho difícil porque ela vai achar um jeito fácil de fazê-lo”, já disse, afinal, Bill Gates. Parece que o criador da Microsoft acertou em cheio ao optar por essa estratégia, já que os mais inovadores costumam escapar da rotina para completar projetos de forma muito mais eficiente que a convencional.

3. Anotar é lembrar

“Ah, com certeza eu vou me lembrar disso mais tarde”. Se você alguma vez já pensou nessa frase e depois ficou quebrando a cabeça para tentar recordar o que estava na sua mente, sabe a importância de tomar notas. As grandes ideias podem vir de qualquer lugar e a qualquer momento. Porém, como somos bombardeados diariamente com informações, é preciso escrever ou armazenar a nata desse material para consulta futura ou para aprimorar possíveis projetos. Nunca se sabe quando um papo no trem pode render um produto ou serviço único.

4. Perfeição, não: equilíbrio

A frase “faça o que eu digo, não faça o que eu faço” pode ser adaptada facilmente para os inovadores. Eles costumam investir na perfeição – ou pedir por ela em seus negócios –, mas não deixam que isso tire seus pés do chão e da dura realidade do progresso e dos percalços diários. Assim, é necessário balancear bem esses aspectos, sem deixar que a busca pelo perfeito atrapalhe um bom projeto que não alcance esse patamar idealizado ou que um realismo nu e cru jogue tudo ladeira abaixo.

5. Abrace seus medos

Falir, perder funcionários importantes, brigar com um sócio, não conquistar o público, ter problemas com investidores ou falhar, de modo geral, são medos bastante reais para o empreendedor. Essas situações, no entanto, devem ser vistas como uma oportunidade de progresso e inovação, uma vez que o medo é um combustível bastante poderoso. O receio de colocar tudo a perder, se usado corretamente, pode unir equipes, estimular a criatividade e ativar um verdadeiro instinto de sobrevivência corporativo.

6. Antecipando problemas

Quem quer se destacar e ser o primeiro a oferecer uma solução para os clientes não pode esperar que algo quebre para começar a pensar nesse produto. Os inovadores estudam sempre um modo de deixar as coisas melhores, mesmo que elas já estejam funcionando corretamente. Esse modo de pensar favorece o pioneirismo e faz com que você sempre reavalie seus próprios serviços e processos.

7. A importância do tempo

A correria do dia a dia acaba fazendo com que muita gente apresse estágios da criação de um novo produto que, historicamente, precisam de mais tempo. Os empreendedores mais preparados, apesar da busca pela eficiência, sabem respeitar esse tempo de incubação do processo criativo. São momentos em que é preciso deixar o escritório de lado para que as ideias fluam de forma mais natural e sejam “digeridas” pelo cérebro, rendendo outra perspectiva sobre o tema.

8. Amplie (e muito) os horizontes

Quando os grandes inovadores nos ensinam que não se deve “colocar todos os seus ovos em apenas uma cesta”, eles não estão falando somente de como maximizar seus ganhos e evitar perdas terríveis se sua aposta segura não der assim tão certo. Investir em múltiplos projetos estimula o pensamento criativo, suaviza a pressão de tocar um único empreendimento e pode fazer com que seja possível colher experiências únicas com cada iniciativa. Além disso, a prática expande seu leque de conhecimentos como empreendedor.

9. Mais do que autoconfiança

Aos olhos de muita gente, o empresário de sucesso pode parecer um sujeito arrogante e que acha que está em um patamar superior ao dos outros ou, ainda, que é mais inteligente que seus concorrentes. O fato é que esses inovadores confiam bastante no próprio taco e não têm medo de apostar em uma oportunidade que pode parecer arriscada demais para seus colegas de negócios. Muitas vezes, uma dose saudável de arrogância pode ser a diferença entre parar diante de uma barreira ou emplacar um empreendimento pioneiro.

10. Longe do pensamento binário

Enquanto boa parte da humanidade divide os assuntos mais diversos em polos opostos – do tipo “sim ou não” ou “certo e errado” –, os empreendedores adeptos da inovação entendem que tudo tem muito mais do que dois lados. Eles conseguem avaliar e pesar cada escolha e ver além das restrições do senso comum. Lembra quando um telefone só fazia ligações? E quando os carros autônomos eram só coisa de ficção científica? Basta se acostumar a bisbilhotar por cima do muro para enxergar novas possibilidades de negócios em quase todo lugar.

E aí, como você acha que se sai em relação a essa listagem? Vale lembrar que, apesar do que se acredita popularmente, muitas dessas características não são naturais das pessoas. Em geral, é preciso certo tempo e dedicação para que seja possível desenvolver determinadas formas de pensar e encarar o mundo dos negócios – um processo que, invariavelmente, tem sua própria dose de erros e acertos.

Fonte: Tecmundo – Por Marcelo Rodrigues em Empreendedorismo

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: