• Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por e-mail.

    Junte-se a 165 outros seguidores

  • Arquivos

Falta de trabalhador qualificado afeta 69% das indústrias


De acordo com pesquisa divulgada pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI), praticamente sete em cada 10 empresas industriais brasileiras enfrentam problemas de falta de trabalhador qualificado. A constatação é da Sondagem Especial realizada entre os dias 3 e 26 de janeiro, com 1.616 empresas. Foram consultadas 931 empresas de pequeno porte, 464 de médio porte e 221 de grande porte.

As empresas que têm tais dificuldades afirmam que a escassez de mão de obra qualificada prejudica a competitividade. Segundo a pesquisa Falta de Trabalhador Qualificado na Indústria, 78% das empresas que informam enfrentar o problema procuram capacitar o trabalhador dentro da própria empresa. Essa é a principal forma de lidar com a situação, revela o levantamento.

A pesquisa aponta que a tarefa dos empresários é difícil: 52% dos consultados disseram que a má qualidade da educação básica é uma das principais dificuldades que têm para capacitar seus trabalhadores.

A pesquisa mostrou que 69% das indústrias passam pelo problema de qualificação do trabalhador. As que menos sofrem são as indústrias de grande porte: 63%. Tanto entre as pequenas quanto entre as médias, 70% informaram ter essa dificuldade.
O impacto maior da falta da mão-de-obra capacitada dentro da empresa é na produção. Quase a totalidade das empresas (94%) registra dificuldades para encontrar operadores. E 82% encontram problemas para contratar técnicos. As indústrias também informaram ter dificuldades para contratar funcionários qualificados em vendas/marketing (71%), para a área administrativa (66%), gerentes e profissionais de pesquisa e desenvolvimento (62%) e engenheiros (61%).

A falta de trabalhador qualificado é disseminada por toda a indústria, mas é crítica em alguns setores. Os que se dizem mais afetados pelo problema são os segmentos de vestuário (84% das empresas), outros equipamentos de transporte (83%), limpeza e perfumaria (82%) e móveis (80%).

Mais informações sobre essa notícia diretamente no site da Confederação Nacional das Insústrias.

O que você achou dessa notícia?
Deixe seu comentário!

 

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: