• Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por e-mail.

    Junte-se a 155 outros seguidores

  • Arquivos

Parceria entre Campus Toledo e empresa abre portas no mercado de trabalho


Acadêmicos realizam visita técnicaA parceria firmada entre a PUCPR, Câmpus Toledo, e o grupo farmacêutico Prati Donaduzzi têm criado oportunidades de emprego e desenvolvimento profissional para estudantes de Engenharia de Produção, Administração, Ciências Biológicas, Enfermagem e Psicologia. Desde 2007, o programa de estágios já beneficiou 34 alunos – 19 ainda trabalham na empresa –, e há mais vagas a serem preenchidas. “A parceria é uma forma de vermos nosso aluno mostrando o que está estudando, e de a empresa encontrar mão de obra qualificada”, analisa a coordenadora do curso, Cláudia Dell Agnolo Petry.

A oportunidade do estágio pode se tornar possibilidade de emprego permanente, mantendo o estudante na própria região. Foi exatamente o que aconteceu com os alunos do 5º período de Engenharia de Produção, Andréia Monteiro Alves, 30 anos, e Pedro Lopes Muniz Filho, 19 anos. Eles entraram na empresa no fim de 2009 e, hoje, contratados, respondem pelas áreas de Produção e de Desenvolvimento, respectivamente.

Andréia foi efetivada apenas um mês depois de começar o estágio, em novembro do ano passado, no Departamento de Desenvolvimento de Projetos. Hoje, ela é supervisora de cinco linhas de produção e afirma que o curso, o apoio dos professores e a estrutura da Universidade foram – e ainda são – fundamentais para seu sucesso profissional.

“Além do curso, busco informações na biblioteca e tenho todo o incentivo dos professores. A PUCPR me dá o direcionamento, os recursos necessários, mas cabe a cada pessoa ir atrás do seu crescimento. Precisamos mesclar o conhecimento acadêmico e a experiência de mercado, aplicando o que é adequado para cada situação. Ainda tenho muita coisa para descobrir até terminar o curso, e isso vai ajudar meu desenvolvimento profissional dentro da empresa”, avalia Andréia.

Já Pedro começou a estagiar na Prati em setembro de 2009, sendo efetivado seis meses depois. Atualmente, com 19 anos de idade, ele é analista de processos e trabalha no setor de Desenvolvimento de Processos, atuando, por exemplo, em eficiência operacional e melhorias de linha, tanto de processos quanto de produtos. Segundo ele, “ser estudante da PUCPR foi primordial para conseguir o emprego”.

“Não tinha experiência profissional, nunca havia trabalhado antes e consegui este emprego. Isso mostra que a PUCPR nos permite um aprendizado que abre portas no mercado de trabalho. E não falo apenas de conhecimentos específicos para a profissão, mas de aprendizados que complementam a postura do profissional, como comunicação e expressão”, afirma Pedro. Ele conta ainda que os professores têm papel fundamental nesse processo, já que repassam aos alunos a experiência que têm de mercado.

DEMANDA – Os exemplos de Andréia e Pedro mostram que as empresas têm procurado na PUCPR, Câmpus Toledo, mão de obra qualificada, principalmente na área da engenharia de produção. Isso, diz Cláudia, fortalece e valoriza este profissional na região. “O trabalho na linha de produção é melhor desempenhado por um engenheiro de produção porque, pelo conhecimento que tem dos processos, pode aprimorá-los”, argumenta.

A gerente de Desenvolvimento de Processo de Líquidos e Semi-sólidos, Rubia Fabiana Porsch, acrescenta que, só na Prati, ainda há muitas vagas para engenheiros de produção, e esta demanda, diz, está sendo suprida pelos estudantes da PUCPR. “Eles são profissionais que dão resultado porque têm conhecimento abrangente mesmo não sendo formados ainda. Eles se inserem, trazem boas ideias e se desenvolvem rapidamente, além de se destacarem em papeis de liderança, que ajudamos a desenvolver aqui dentro”, explica Rubia.

Segundo a gerente, a parceria com a PUCPR “caminha muito bem, com grande abertura por parte da diretoria da Universidade”. Diante disso, a empresa tem interesse em expandir as ações e o programa de estágios. Na última semana de abril, mais 12 estudantes de Engenharia de Produção foram contratados. “O próximo passo será o curso de Farmácia, com profissionais que podem atuar na linha de produção, controle de qualidade e pesquisa e desenvolvimento, por exemplo”, adianta Rubia.

Visita técnica complementa ensino da sala de aula

Fruto dessa parceria, os alunos do curso de Engenharia de Produção tiveram dois dias de aulas práticas, em março, na Prati Donaduzzi. Eles conheceram toda a linha de produção da empresa – o processo de produção de sólidos, incluindo a moldagem e a coloração de comprimidos, de semi-sólidos e de líquidos, desde a mistura dos componentes até o envase da medicação. Para Cláudia, a ação foi importante porque permitiu aos alunos vivenciar o aprendizado de sala de aula. Para muitos, foi o primeiro contato com a linha de produção.

Funcionários da Prati fazem MBA no Câmpus Toledo

O convênio entre a Universidade e a Prati beneficia também os funcionários da empresa, que formaram em fevereiro a primeira turma do curso de Pós-Graduação – MBA em Gestão Industrial na PUCPR, Câmpus Toledo. Já são 44 estudantes, com aulas a cada 15 dias. Segundo Cláudia, o curso é fechado para a Prati e atende, em sua maioria, funcionários da produção, farmacêuticos, biólogos e administradores.

“Eles entendiam sobre a parte de farmácia, mas sentiram necessidade de aprender toda a linha de produção. Para isso, desenhamos um curso focado nos funcionários, com professores de Curitiba e de São Paulo selecionados especialmente para esta Pós”, explica a coordenadora. O MBA tem duração de um ano e seis meses, com previsão de término em agosto/2011, e 50% é pago pela Prati.

Apesar de os funcionários terem apenas alguns meses de curso, Rubia conta que já nota resultados. “Eles estão motivados, querendo aprender cada vez mais. Inclusive, eles compartilham o que aprenderam com outros colegas que não estão no curso. Isso faz toda a diferença”, conta. E a gerente acrescenta: “O curso agrega muito conhecimento porque a maioria deles já tem uma visão industrial, e conseguem um aproveitamento melhor das aulas. Eles trazem esse aprendizado para o dia a dia do trabalho, com ideias, inovações que trazem retorno a médio e longo prazos”, diz.

Fonte: PUC.

Anúncios

2 Respostas

  1. Excelente parceria

  2. Parceria que tem dado certo, vemos que é essencial na corporação essa engenharia de finalização!!
    “Maximizar os RE$ULTADO$$ é o que faz crescer”

    Abraço

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: