• Arquivos

Projeto desenvolvido por alunos de Engenharia Civil da UniFil é finalista em concurso de inovação


Uma equipe de pesquisadores formada por alunos de engenharia civil do Centro Universitário Filadélfia de Londrina (UniFil), desenvolveu um sistema que tem por objetivo a redução de materiais grosseiros e sólidos em suspensão das águas provenientes da lavagem de equipamentos e ferramentas utilizadas na construção civil.

desarenador-agua-pode-ser-reutilizada-lg-7380a73b

O sistema possui uma metodologia semelhante aos desarenadores, utilizados nas estações de tratamento de água e esgoto, onde as chicanas instaladas reduzem a velocidade de escoamento da água, possibilitando a sedimentação dos sólidos e permitindo o lançamento no corpo receptor ou reuso com baixa concentração de resíduos.

desarenador-residuos-separados-podem-ser-coletados-lg-ea82987f

O projeto é um dos três finalistas do 8º Prêmio de Projetos Inovadores com Aplicabilidade na Indústria Metalúrgica, Mecânica, Eletrônica, Materiais Elétricos e Construção Civil, que concorreu com outros 34 projetos, sendo o único selecionado da região sul do Brasil.

desarenador-agua-da-betoneira-com-residuos-lg-d351ced9

A proposta é minimizar a poluição ambiental com o tratamento da água utilizada em canteiros de obras. A decantação dos sólidos vai limpá-la, possibilitando inclusive o reaproveitamento. É a aplicação do conceito da sustentabilidade na construção civil, afirma o professor da UniFil Caio Victor Lourenço Rodrigues, das áreas de Hidráulica e Saneamento, coordenador da pesquisa juntamente com os docentes Júlio César Filla e Mariandi Barcos Capellari.

Os projetos selecionados ficam expostos na EletroMetalCon 2016, nos dias 3,4 e 5 de maio, no SENAI (Rua Belém, 844). A visitação é aberta ao público, sem custo.

alunos

O projeto foi realizado e desenvolvido pelos alunos:
Lorena Messias de Oliveira
Rayany Domingues dos Santos
Jennifer Martins Pereira Machado
Lucas Aparecido de Oliveira Santos

Com o apoio dos seguintes alunos, que também desenvolvem outras pesquisas na instituição:
Bruna Cristina Gomes Dabul
Camila Bridi
Dayane Mauro Sangiogio
Gabriel Otaviano Almondes
Laís Vitória Assis Raymundo
Renan Cardoso Pinheiro
Vanessa Kishi da Silva
Vinícius Henrique Levinski Yokomizo

Fonte: Emerson Carlos Guedes de Almeida- Membro Dirigente CREAjr-PR

Confira mais notícias sobre o assunto:
Portal Massa News
Portal UnifilPortal Unifil

 

 

Acadêmicos de Geografia da Unioeste Francisco Beltrão participam de palestra do CREAjr-PR


Os acadêmicos do curso de Geografia da Unioeste Francisco Beltrão participaram, no dia 7 de abril, de palestra sobre o Programa CREAjr-PR. A palestra, organizada pela dirigente Daniella Rosa Marques de Oliveira, teve como principal objetivo esclarecer dúvidas sobre o funcionamento do programa e sobre a carteira do membro do CREAjr.

201615256005_1_IMG-20160407-WA0055 (2)

201615256005_2_IMG-20160407-WA0043 (2)

Maio Amarelo: Atenção pela vida


maio-amarelo

O Movimento Maio Amarelo nasce com uma só proposta: chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo.

O objetivo do movimento é uma ação coordenada entre o Poder Público e a sociedade civil. A intenção é colocar em pauta o tema segurança viária e mobilizar toda a sociedade, envolvendo os mais diversos segmentos: órgãos de governos, empresas, entidades de classe, associações, federações e sociedade civil organizada para, fugindo das falácias cotidianas e costumeiras, efetivamente discutir o tema, engajar-se em ações e propagar o conhecimento, abordando toda a amplitude que a questão do trânsito exige, nas mais diferentes esferas.

Acompanhando o sucesso de outros movimentos, como o “Outubro Rosa” e o “Novembro Azul”, os quais, respectivamente, tratam dos temas câncer de mama e próstata, o “MAIO AMARELO” estimula você a promover atividades voltadas à conscientização, ao amplo debate das responsabilidades e à avaliação de riscos sobre o comportamento de cada cidadão, dentro de seus deslocamentos diários no trânsito.

A marca que simboliza o movimento, o laço na cor amarela, segue a mesma proposta de conscientização já idealizada e bem-sucedida, adotada pelos movimentos de conscientização no combate ao câncer de mama, ao de próstata e, até mesmo, às campanhas de conscientização contra o vírus HIV – a mais consolidada nacional e internacionalmente.

Portanto, a escolha proposital do laço amarelo tem como intenção primeira colocar a necessidade da sociedade tratar os acidentes de trânsito como uma verdadeira epidemia e, consequentemente, acionar cada cidadão a adotar comportamento mais seguro e responsável, tendo como premissa a preservação da sua própria vida e a dos demais cidadãos.

Vale ressaltar que o MAIO AMARELO, como o próprio nome traduz, é um movimento, uma ação, não uma campanha; ou seja, cada cidadão, entidade ou empresa pode utilizar o laço do “MAIO AMARELO” em suas ações de conscientização tanto no mês de maio, quanto, na medida do possível, durante o ano inteiro.

A motivação para o Movimento MAIO AMARELO não é novidade para a sociedade. Muito pelo contrário, é respaldada em argumentos de conhecimento público e notório, mas comumente desprezados, sem a devida reflexão sobre o impacto na vida de cada cidadão.

Em conclusão, o MAIO AMARELO quer e espera a participação e envolvimento de todos comprometidos com o bem-estar social, educação e segurança em decorrência de cultura própria e regras de governança corporativa e função social; razão pela qual, convidamos você, sua entidade ou sua empresa a levantar essa bandeira e fazer do mês de maio o início da mudança e fazer do AMARELO, a cor da “atenção pela vida”.

Sobre a Década de Ação para a Segurança no Trânsito

A Assembleia-Geral das Nações Unidas editou, em março de 2010, uma resolução definindo o período de 2011 a 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”. O documento foi elaborado com base em um estudo da OMS (Organização Mundial da Saúde) que contabilizou, em 2009, cerca de 1,3 milhão de mortes por acidente de trânsito em 178 países. Aproximadamente 50 milhões de pessoas sobreviveram com sequelas.

São três mil vidas perdidas por dia nas estradas e ruas ou a nona maior causa de mortes no mundo. Os acidentes de trânsito são o primeiro responsável por mortes na faixa de 15 a 29 anos de idade; o segundo, na faixa de 5 a 14 anos; e o terceiro, na faixa de 30 a 44 anos. Atualmente, esses acidentes já representam um custo de US$ 518 bilhões por ano ou um percentual entre 1% e 3% do PIB (Produto Interno Bruto) de cada país.

Se nada for feito, a OMS estima que 1,9 milhão de pessoas devem morrer no trânsito em 2020 (passando para a quinta maior causa de mortalidade) e 2,4 milhões, em 2030. Nesse período, entre 20 milhões e 50 milhões de pessoas sobreviverão aos acidentes a cada ano com traumatismos e ferimentos. A intenção da ONU com a “Década de Ação para a Segurança no Trânsito” é poupar, por meio de planos nacionais, regionais e mundial, cinco milhões de vidas até 2020.

O Brasil aparece em quinto lugar entre os países recordistas em mortes no trânsito, precedido por Índia, China, EUA e Rússia e seguido por Irã, México, Indonésia, África do Sul e Egito. Juntas, essas dez nações são responsáveis por 62% das mortes por acidente no trânsito.

O problema é mais grave nos países de média e baixa rendas. A OMS estima que 90% das mortes acontecem em países em desenvolvimento, entre os quais se inclui o Brasil. Ao mesmo tempo, esse grupo possui menos da metade dos veículos do planeta (48%), o que demonstra que é muito mais arriscado dirigir um veículo — especialmente uma motocicleta — nesses lugares.

As previsões da OMS indicam que a situação se agravará mais justamente nesses países, por conta do aumento da frota, da falta de planejamento e do baixo investimento na segurança das vias públicas.

De acordo com o Relatório Global de Segurança no Trânsito 2013, publicado pela OMS recentemente, 88 países membros conseguiram reduzir o número de vítimas fatais. Por outro lado, esse número cresceu em 87 países.

A chave para a redução da mortalidade, segundo o relatório, é garantir que os estados-membros adotem leis que cubram os cinco principais fatores de risco: dirigir sob o efeito de álcool, o excesso de velocidade, não uso do capacete, do cinto de segurança e das cadeirinhas. Apenas 28 países, que abrigam 7% da população mundial, possuem leis abrangentes nesses cinco fatores.

Fonte: http://maioamarelo.com/

 

Acadêmicos da Unioeste Cascavel e Unipar Toledo recebem palestras do Programa CREAjr-PR


Os estudantes do curso de Engenharia Civil da Unioeste Cascavel participaram de palestras ministradas pelo gerente regional Geraldo Canci e pelos membros dirigentes que representam o curso, abordando o Programa CREAjr-PR e o Sistema Confea/Crea.

13133380_982720681849566_1409063164042957516_n

Acadêmicos do curso de Engenharia Civil da Unioeste Cascavel, em palestra sobre o Sistema Profissional e o Programa CREAjr-PR

Já na Unipar Toledo, as palestras ministradas pelo gerente Geraldo abordaram o Sistema Confea/Crea e atribuições profissionais, tendo também como público os acadêmicos de engenharia civil.

unipar

Acadêmicos do curso de Engenharia Civil da Unipar Toledo, em palestras sobre o Sistema Profissional e Atribuições Profissionais

Abertura do 1º Simpósio de Engenharia Civil da PUCPR conta com participação do Presidente do Crea-PR


(Assessoria de Comunicação do Crea-PR)

asimpósio pucpr

O presidente do CREA-PR, engenheiro civil Joel Krüger, participou hoje (2 de maio) da abertura do  I Simpósio de Engenharia Civil. Promovido pelo Centro Acadêmico de Engenharia Civil (Caec) da PUCPR, o evento conta com o apoio do CREAjr-PR, Sinduscon-PR, , Senge Jovem, IDD, TKS e do Instituto de Engenharia do Paraná.

Krüger que também é coordenador do curso de engenharia civil da PUCPR, elogiou a iniciativa dos estudantes. “Parabenizo o Caec pela ideia de realizar o primeiro simpósio, trazendo palestrantes de alto nível que, com certeza, compartilharão informações de grande valia para todos os acadêmicos de engenharia civil”.

O presidente do Caec da PUCPR, Gilson Gualbert, “o evento tem como objetivo principal a troca de conhecimentos e experiência entre profissionais do setor, empresas do ramo e os futuros engenheiros”.

A palestra de abertura foi realizada pelo engenheiro civil e vice-presidente da área técnica do Sinduscon-PR, Euclesio Manoel Finnatti, que deu mais detalhes sobre o wood frame, sistema construtivo em estrutura de madeira.

Já o engenheiro civil e vice-presidente do Sindicato dos Engenheiros do Paraná, Valter Fanini, encerrou a primeira parte da atividade, apresentando aos estudantes a palestra “mobilidade urbana”.

Confira na imagem abaixo a programação completa do evento que segue até a próxima quarta-feira.

 

absimpósio pucpr

Inspetoria de Curitiba é oficialmente inaugurada


Com a presença do presidente do Crea-PR, engenheiro civil Joel Krüger, diretores, conselheiros, inspetores, presidentes de entidades de classe, do gerente da regional engenheiro civil Maurício Bassani, profissionais e funcionários, foi realizada ontem a inauguração oficial das novas instalações da Regional Curitiba do Crea-PR, localizada na Rua Padre Germano Mayer, 1169, bairro Alto da XV. A Regional Curitiba já está atendendo os profissionais e a sociedade desde o último dia 21 de março.

inspetoria-curitiba-oficialmente-inaugurada

Em sua fala, Krüger destacou a melhoria das condições das instalações, tanto para os funcionários quanto para os profissionais. “Continuamos preocupados em melhorar nossas instalações, não apenas em Curitiba, mas em todo o Estado. Fico bastante satisfeito com a nova inspetoria que conta com espaço amplo para o atendimento de nossos profissionais, atende as normas de acessibilidade, conta com estacionamento próprio e uma sala de reuniões que está disponível para nossas entidades de classe. Agradeço a todos os nossos diretores, conselheiros, inspetores e funcionários que trabalharam bastante para viabilizar esta mudança”, destacou.

inspetoria-curitiba-oficialmente-inaugurada

Falando em nome de todos os funcionários da inspetoria de Curitiba, a responsável pelo arquivo e tratamento de protocolos, agente administrativa Rosegil Ribeiro destacou a qualidade do espaço. “Não há como comparar a qualidade das instalações. Aqui ficou muito mais fácil e tranquilo para trabalhar e só quero agradecer a todos pelo novo espaço”.

inspetoria-curitiba-oficialmente-inaugurada

Pronunciamentos

Presente no evento, o presidente do Instituto de Engenharia do Paraná, engenheiro eletricista Nelson Luiz Gomez, parabenizou o Conselho pela nova Regional. “Parabéns pelo investimento realizado e tenho certeza que o trabalho do presidente Joel Krüger, de sua diretoria e funcionários é reconhecido e inclusive copiado por outros conselhos profissionais”.

“Fiquei surpreso positivamente com a nova estrutura disponibilizada aos nossos profissionais e a comunidade e sinto orgulho de participar desta inauguração”, destacou o presidente da Federação dos Engenheiros do Paraná, engenheiro agrônomo, Luiz Lucchesi.

O presidente da Associação Paranaense dos Engenheiros de Segurança do Trabalho e coordenador regional do CDER, engenheiro eletricista e de segurança do trabalho, Flávio Freitas Dinão também enalteceu o novo espaço. “Espero que esta casa seja abençoada por Deus e que seja um tabernáculo da liberdade de se trabalhar dentro da legislação”.

inspetoria-curitiba-oficialmente-inaugurada

Placa

Encerrando a cerimônia, o gerente da regional convidou os profissionais presentes realizaram o descerramento de uma placa comemorativa as novas instalações.

Confira mais fotos da inauguração da Inspetoria em: www.facebook.com/creapr

inspetoria-curitiba-oficialmente-inaugurada

CREA-PR e AREA-Ibaiti promovem palestra para estudantes


O CREA-PR e a Associação Regional de Engenharia e Arquitetura de Ibaiti (Area-Ibaiti) realizaram no ultimo dia 18 de abril uma palestra para estudantes do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) Seiji Hatanda.

O evento contou com a participação de estudantes do curso técnico em agronegócios, professores, coordenadores dos cursos e da direção da entidade. Na oportunidade, a conselheira do CREA-PR, engenheira agrônoma Silvana Aparecida de Oliveira e o presidente da Area-Ibaiti, engenheiro civil Antonio Vicenzi apresentaram questões relevantes ao Sistema Confea/Crea.

Presente no evento, o gerente da Regional Londrina, engenheiro eletricista Edgar Matsuo Tsuzuki destacou a importância da atividade. “O CEEP de Ibaiti foi  recentemente construído e ainda não formou a primeira turma. Com a atividade, foi possível apresentar o papel do Sistema Confea/Crea na regulação das profissões e na defesa e valorização profissional’, destacou.

ibaiti

(Assessoria de Comunicação do Crea-PR)

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 77 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: