• Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por e-mail.

    Junte-se a 113 outros seguidores

  • Arquivos

Eleições do CreaJr-PR encerram na próxima segunda-feira


divulga-eleicoes-facebook-2

 

Encerra na próxima segunda-feira o prazo para votação no processo eleitoral para membro dirigente do CreaJr-PR. O processo, que iniciou em 31 de outubro com a publicação do edital de convocação para candidaturas, conta com 41 candidatos para as vagas abertas em suas instituições de ensino e modalidades.

Podem votar os membros corporativos da mesma instituição de ensino e modalidade do candidato, e não há número mínimo de votos para que os candidatos sejam considerados eleitos – veja aqui instruções sobre como votar.

Acompanhe na página das eleições a lista de candidatos e os editais do processo, clicando aqui.

 

 

 

 

Primeiro prédio sustentável do Brasil com tecnologia wood frame é construído em 8 dias no Paraná


Informações da Redação CicloVivo

predio-tecverde_montagem-2-1024x576

Esta é a primeira vez que um prédio é construído no Brasil a partir da técnica internacional conhecida como “wood frame”. O processo, que usa madeira como principal matéria-prima, reduz drasticamente o desperdício de materiais, o uso de água, a quantidade de resíduos gerados e o tempo para a finalização da obra.

Foto: Reprodução

 

Logo no primeiro projeto nacional para edifícios a Tecnoverde, junto com a MRV, construiu dois prédios, com doze apartamentos de 50 m2 cada no Paraná. O complexo foi erguido em apenas 16 dias e com uma equipe formada por cinco pessoas. Conforme informado pela empresa, apesar de ser a primeira vez que o sistema é usado em prédios no Brasil, o projeto não é experimental.

“Fora do país já existem prédios em wood frame, construídos há muitos anos e mais altos. No exterior, a tecnologia se consolidou como a forma mais moderna que existe para se construir no mundo, com tecnologia de ponta, agilidade e economia. Entendemos que com essa inovação trazemos a solução que precisamos para sair da crise imobiliária e estamos orgulhosos de proporcionar isso ao Brasil”, comemora Caio Bonatto, CEO da Tecverde.

O sistema foi trazido e aprovado no Brasil em 2009, como uma alternativa eficiente à construção convencional. Projetos feitos em wood frame geram 85% menos resíduos e emitem até 80% menos CO2, além de gastar 90% menos recursos hídricos.

A base para as placas estruturais do sistema é madeira, como o nome já diz. Para evitar o desmatamento de florestas nativas, a empresa usa madeira de florestas plantadas. Para garantir a durabilidade, o material passa por dupla secagem e recebe um preservativo com durabilidade superior a 50 anos.

As chapas facilitam as instalações elétricas e hidráulicas, bem como eventuais manutenções durante o uso. Para ficar semelhante às construções de alvenaria, todo o acabamento pode ser feito de forma tradicional, com pisos, azulejos, entre outras coisas.

 

 

 

 

Copel oferece em seu site tradutor em Libras para surdos


Iniciativa busca ampliar o acesso a informações sobre energia elétrica às pessoas alfabetizadas em Libras

Informações da AEN.

Em uma ação voltada à inclusão de pessoas surdas, a Copel lançou nesta sexta-feira (2), véspera do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, uma ferramenta que permite a tradução automática de sua página de internet para a comunidade surda.

A iniciativa busca ampliar o acesso a informações sobre energia elétrica às pessoas alfabetizadas apenas na Língua Brasileira de Sinais (Libras), que representam cerca de 70% dos surdos no Brasil.

O personagem virtual Hugo faz a tradução para Libras de todos os serviços e orientações disponíveis no site da empresa, incluindo dicas sobre o uso seguro e eficiente de energia, direitos e deveres dos consumidores, agência virtual, notícias, contratação de internet da Copel Telecom, entre outros.

O tradutor incorporado ao site da Copel, da empresa Hand Talk, foi premiado pela ONU em 2013 como o melhor aplicativo de inclusão social disponível na web, e um de seus criadores foi listado esta semana pelo Instituto de Tecnologia de Massachussets, o MIT, entre os 35 jovens mais inovadores do planeta.

A ferramenta pode ser acionada clicando no ícone de acessibilidade em Libras ao lado direito das páginas dos sites da Copel (www.copel.com) e da Copel Telecom (www.copeltelecom.com). A comunidade surda pode colaborar com a atualização de gestos, inclusão de novas expressões e outras sugestões escrevendo para copel@copel.com.

Dificuldades

Segundo o IBGE, em 2010 havia 10 milhões de pessoas com deficiência auditiva no Brasil, que correspondem a cerca de 5% da população brasileira. Destes, cerca de 350 mil são surdos.

No Paraná, meio milhão de pessoas apresenta deficiência auditiva em diferentes níveis. Entre os surdos, a maioria é alfabetizada em Libras e tem dificuldade para compreender o português, o que restringe sua comunicação no dia a dia, especialmente ao navegar pela internet.

“Embora a internet tenha aberto as portas de um novo mundo para a maioria das pessoas, um percentual enorme delas ainda não encontra condições para navegar, não apenas devido a deficiências auditivas, mas também visuais, físicas ou mentais, e mesmo a limitações temporárias, decorrentes de doenças ou acidentes”, explica Joceli Bogusz, superintendente de Sustentabilidade da Copel.

Legislação

Em janeiro de 2016, a Lei Brasileira de Inclusão (LBI) entrou em vigor, estabelecendo normas de acessibilidade a serem seguidas por empresas, estabelecimentos públicos e para garantir a plena navegação na internet, conforme as melhores práticas internacionais.

“A adoção desta melhoria em nosso site soma-se a uma série de medidas que vêm sendo tomadas pela Copel nos últimos anos para promover a inclusão de todas as pessoas”, acrescenta Joceli.

Ela elenca entre as principais práticas adotadas pela Copel a adaptação de suas agências de atendimento e instalações para conferir pleno acesso a pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, e também a adoção em seu site de recursos que permitem a leitura de tela por cegos e deficientes visuais.

Drones vão substituir iluminação pública na Inglaterra


A ideia é que as pessoas possam chamar os drones por um aplicativo de celular e que eles as acompanhem até o destino final.

Drones vão substituir iluminação pública na Inglaterra

 

Uma empresa de seguros britânica quer disponibilizar drones para iluminar o caminho de seus assegurados em áreas sem iluminação pública, os fleetlights. A ideia é que a pessa que precise atravessar uma região sem luz possa usar um aplicativo de celular geolocalizado para chamar os drones – que virão com um holofote e a acompanharão até seu destino. A iniciativa deve ser usada principalmente em áreas rurais e cidades pequenas, e deve ser mais econômica do que instalar postes de luz por todo o interior da Inglaterra, por exemplo.

O cliente terá a opção de chamar três drones para si, que o iluminarão por cima e pelos lados, ou de usar apenas um aparelhinho voador. A seguradora quer, com isso, evitar que acidentes aconteçam – e, de quebra, economizar os gastos que teria com cuidados médicos. “Acreditamos que a noção de seguros vai deixar de ser um negócio de indenização – ou seja, consertar coisas que se quebraram – para virar um negócio de prevenção e evitar que coisas ruins aconteçam”, disse Mark Evans, diretor de marketing da empresa Direct Line, à revista Fast Company.

O drones também poderão acompanhar bicicletas ou até mesmo carros em rodovias sem iluminação. A principal dificuldade foi desenvolver uma luz que seja leve o suficiente para ser carregada pelo drone, e que o GPS consiga prever o movimento do usuário – qualquer atraso na localização significa que as pessoas ficarão no escuro. Os fleetlights estão sendo programados em código aberto, para que qualquer um possa ajudar a botar a ideia em prática. O serviço, porém, ainda está na fase de testes.

 

Fonte: Superinteressante

CreaJr representado no 9º Congresso Nacional de Profissionais


plenario-confea

Representantes do CreaJr de todo o país, coordenadores estaduais e adjuntos do Programa em seus Creas, estiveram reunidos na última semana, participando e representando seus estados no 9º Congresso Nacional de Profissionais (CNP). O evento aconteceu nos dias 1º e 2 de dezembro, em Brasília, em sequência à primeira etapa ocorrida em Foz do Iguaçu, em setembro.

Na oportunidade, a Comissão Nacional do CreaJr realizou a última reunião do ano, com pauta extensa que contemplou principalmente debate acerca das propostas de melhoria do Sistema Profissional aprovadas durante o 9º CNP. A criação de um modelo nacional de carteira para os membros do CreaJr também foi assunto de pauta, assim como outras questões de abrangência nacional como o projeto “Construção Coletiva”, as ações da Comissão Nacional de Comunicação e o Encontro Nacional do CreaJr.

A reunião foi conduzida pelo do coordenador nacional do CreaJr, Jean Hening (SC) e pela coordenadora nacional adjunta Patrícia Campos (SE), e o CreaJr-PR foi representado pelo coordenador estadual e membro da Comissão Nacional de Comunicação do CreaJr Gabriel Biglia. Estiveram presentes ainda os representantes do Programa de outros Creas: Bruno Cosse (GO), Marisa Lima (MA), Maycon Juan (MG), Raimundo Bacelar (PI), Tamires Oliveira (ES), Allan Randson (MS), Kristoffer Augusto (AC), Jociene Duarte (RO), Leonardo Reis (BA),  Jéssika Nelles (PB), Marcelo Almeida (AM), Gabriel Nascimento (SC), Renata Atanasov (AL) e Bárbara Alcântara (PE).

foi-pro-face-ja

Além do contato com os profissionais do sistema, o momento importante para os trabalhos do CreaJr Nacional e para o entrosamento da Comissão, que segundo o coordenador estadual do Paraná, Gabriel, deixou Brasília com os ânimos e ideias renovadas para a realização do trabalho em todos os estados.

O Congresso Nacional de Profissionais

O Congresso Nacional de Profissional acontece a cada três anos e tem como objetivo a análise e aprovação de propostas a serem executadas no próximo triênio, todas com objetivo de melhoria do Sistema Profissional. As propostas vêm de todos os estados, aprovadas por meio dos Congressos Estaduais de Profissionais (CEP), evento em nível estadual que antecede o CNP, visando à construção coletiva do Sistema Confea/Crea e Mútua, atendendo a todas as necessidades do país.

Os Creas são representados pelos seus delegados, profissionais que defendem as propostas apresentadas e aprovadas em seus respectivos estados. Durante sua fala, o delegado do Crea-RN, Klaus Charlie, fez menção à importância do Programa CreaJr:

O CNP é o maior instrumento de condução democrática do Sistema.  Fui (membro) do CreaJr e defendo a proposta de criação de uma carteira nacional estudantil, junto às instituições de ensino e com a chancela do Confea. Isso pode trazer o orgulho de participar do Sistema, reduzindo a situação de ver estudantes do último período (letivo) sem saber o que é a ART.

ouvindo-o-tio-eniogt-azul-2entrevista-com-tadeuenquanto-os-delegados-nao-chegam

Anotação de Responsabilidade Técnica em pauta para os acadêmicos da UTFPR Pato Branco


201621660504_1_14937148_1224849317579630_22830558_n

Acadêmicos do nono período dos cursos de Engenharia Elétrica e Engenharia da Computação da UTFPR Pato Branco puderam estar mais próximos da realidade do exercício da profissão, conhecendo um pouco sobre a teoria e a prática do registro da Anotação de Responsabilidade Técnica. As informações foram repassadas em palestra realizada pelo engenheiro agrônomo Gilmar Ritter, gerente da Regional Pato Branco, no espaço reservado à aula de Ética, profissão e cidadania.

201621660504_2_14938052_1224849567579605_1941179813_n

Na mesma data, outra turma de acadêmicos dos mesmos cursos participaram de palestra sobre o CreaJr-PR, organizada pela dirigente do CreaJr-PR Kamilla Pittol, para apresentação do programa e de breve composição do Sistema Profissional aos acadêmicos.

201621660495_2_15133989_1181103528636542_940661521_o

Anotação de Responsabilidade Técnica

A Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) é o documento pelo qual o profissional declara sua responsabilidade técnica pela obra ou serviço, além de servir como comprovação de contrato entre as partes, contratante e profissional contratado.

A ART foi instituída pela Lei Federal 6.496/1977, e os procedimentos relacionados estão determinados na Resolução 1.025/2009. Esses normativos estabelecem que todos os contratos para realização de obras ou serviços técnicos, sejam eles escritos ou verbais, devem ser objeto de registro de ART no Crea onde for exercida a atividade – salvo algumas exceções de atividades que podem ser registradas em outro Crea no qual o profissional possua visto ou registro.

No Crea-PR, o registro de ART e a maioria dos serviços relacionados são realizados por meio de sistema informatizado, acessado mediante senha pessoal do profissional.

 

 

Teste de lógica: como se preparar para a etapa nos processos seletivos?


Muito comuns em processos seletivos concorridos, provas de lógica funcionam como filtros iniciais e exigem calma, foco e preparação dos candidatos

gabarito

 

O nome indica: um teste de raciocínio lógico avalia a habilidade do indivíduo de raciocinar de maneira lógica, ou seja, que faz sentido. E fazendo isso através do uso de argumentos, premissas, declarações e afirmações que definem se algo é certo ou errado naquele contexto…

 

“Não se trata de fazer conta de cabeça, mas de passar por um processo lógico. Como chegar na informação? Que caminho tomar?”, resume Gustavo Nascimento, sócio-diretor da Br Talent, empresa especializada em recrutamento. É uma forma de medir a capacidade analítica do candidato – ou seja, sua capacidade de analisar problemas e propor estratégias de solução – e o tipo de raciocínio que ele adota nesse processo.  

Dessa forma, esses testes acabam aferindo, de uma forma ou de outra, um traço profissional que todas as empresas desejam: a capacidade de resolver problemas.

Gustavo explica que exames do tipo passaram a ser mais frequentes na última década e aparecem principalmente nas fases iniciais de processos com volume alto de candidatos, como concursos públicos, programas de estágio e de trainee. 

“Foi uma exigência do mercado, que queria formas de absorver seu público alvo nos processos seletivos”, explica. “Em 2005, tínhamos programa de estágio com três mil inscritos, mas com a maior inserção do brasileiro no ensino superior esse número aumentou e hoje bate na casa das 20 mil pessoas.”

raciocinio-logico
Exemplo de questão de lógica comum nos processos de trainee

A própria Fundação Estudar utiliza testes de lógica tanto na seleção da própria equipe quanto no seu programa de bolsas de estudo, em que a concorrência chega 60 mil candidatos para cerca de vinte vagas.

Esses testes também são favoritos de empresas do ramo financeiro, que costumam ser exigentes quanto aos resultados, já que os desafios diários do mundo dos investimentos demandam alta capacidade analítica. Ainda assim, tais exames são hoje empregados pelos mais diversos setores, das grandes corporações a organizações não governamentais. 

O nível de dificuldade da prova depende das características da vaga. “Um teste para um cargo de gerência será diferente de um teste para iniciantes”, esclarece Gustavo. A diferença pode aparecer até dentro de um mesmo processo seletivo: candidatos a uma vaga de engenharia podem responder perguntas mais difíceis que os outros, por exemplo.

Os processos mais concorridos costumam ter testes de lógica com níveis de dificuldade altos, e são raros os candidatos que gabaritam a prova, então não fique nervoso se acha que cometeu erros ou não sabia a prova inteira. Da mesma fora, as questões mudam de tempos em tempos, tanto para evitar que candidatos fiquem viciados na respostas como para prevenir que surjam colas e gabaritos.

E o que uma nota ruim sinaliza? “O teste é muito situacional, então se você não estiver num bom dia e apresentar um desvio grande, o recrutador normalmente vai reaplicá-lo”, tranquiliza Gustavo. Importante mesmo é não ser totalmente surpreendido.

Como se preparar 

Antes de encarar as perguntas, é bom relembrar estruturas de raciocínio lógico, como deduções (conclusão através da análise de fatos), inferências (conclusão a partir de premissas), equivalências, negações e analogias, entre outras.

Vale lembrar que alguns tipos de questões costumam ser bastante recorrentes, como as que testam o raciocínio dedutivo. Esse tipo específico de raciocínio (que faz parte do raciocínio lógico) nada mais é do que a capacidade de partir do geral para chegar ao particular, e fazer isso por meio de premissas. Para isso, precisamos avaliar o quanto uma regra geral se aplica a situações específicas. Um exemplo simples: Todo metal é dilatado pelo calor. Prata é um metal. Prata é dilatada pelo calor?

Também são comuns as questões de raciocínio indutivo, que seguem o caminho inverso: partem de uma proposição específica para generalizá-la e aplicá-la em um cenário geral. A gente te explica! Indução é quando supomos que, quando certo fato se repete várias vezes, ele pode ser considerado regra geral e se repetirá de novo. É o caso da máxima de “só existem cisnes brancos”; quem disse isso imaginou que todos os cisnes fossem brancos, pois só havia observado cisnes dessa cor. Na vida real pode não ser bem assim que as coisas funcionam, mas para os testes de lógica vale o raciocínio da indução. Veja o exemplo abaixo:

teste de logica
Exemplo de exercício de raciocínio indutivo, em que só é possível adivinhar qual será o preenchimento do quadrado mais alto se pressupormos que será seguido o mesmo padrão observado no preenchimento do restante da figura

Do lado matemático, é importante revisar conceitos básicos de geometria e intersecções de conjuntos. Também vale rever equações de primeiro grau, probabilidade, análise combinatória, progressões aritmética e geométrica, frações e porcentagens e regra de três.

Não se assuste com os nomes: são coisas que você provavelmente já sabe e esqueceu. Outra boa notícia é que não faltam fontes de estudo, como as aulas da Khan Academy e do PCI Concursos, além dos simulados gratuitos e passo a passo oferecidos por sites como QConcursos e Professor Cardy.

É vital acompanhar atentamente a resolução dos problemas, mesmo se você tiver acertado. É essa prática que lhe permitirá entender a estrutura mental por trás da conclusão – ou seja, entender o próprio raciocínio lógico – e se aprimorar cada vez mais.

O ambiente da prova também é ponto de destaque. Como um teste de raciocínio lógico exige foco e dura entre uma hora e uma hora e meia, é fundamental estar calmo, num espaço confortável e evitar interrupções. “O nível de concentração é um dos principais fatores que determinam o sucesso do candidato”, diz Gustavo.

Uma vez imerso, sempre leia tudo com atenção. Compreenda cada parte do enunciado e lembre-se que só porque a sentença é verdadeira no mundo (como “o céu é azul”) não significa necessariamente que seja a certa. Em testes de lógica, tudo depende do contexto da questão – talvez naquele momento o céu seja vermelho mesmo.

Outra dica é pesquisar a empresa em questão. Algumas aproveitam para personalizar as provas e incluir nas questões seus próprios produtos, métodos de distribuição e operações logísticas, entre outros temas, na tentativa de criar familiaridade entre candidato e companhia.

De qualquer maneira, esse conhecimento generalizado é útil para dar um passo à frente da concorrência. “Encontrar um jovem que conheça um pouco da empresa antes de entrar nela é uma das grandes dificuldades que temos hoje”, finaliza Gustavo.

Exemplos de testes de lógica

Abaixo estão três das muitas questões de raciocínio lógico disponíveis no site QConcursos. Caso pareçam difíceis, lembre-se: é possível (e recomendável) treinar seu raciocínio lógico.

Pergunta 1: Sobre equivalências
“Se João estuda, então Marcela chora.” A negação dessa proposição é logicamente equivalente a:

a) Se João não estuda então Marcela não chora.
b) João não estuda ou Marcela não chora.
c) João não estuda e Marcela não chora.
d) João estuda e Marcela não chora.
e) João estuda ou Marcela não chora.

Resposta: D. Uma negação mantém a primeira sentença (“Se João estuda”) e nega a segunda (“então Marcela chora”).

Pergunta 2: Sobre sequências lógicas
Os números 2, 3, 4, 5, 8, 7, 16, 9,…, apresentam uma sequência lógica. Nessas condições, o décimo primeiro termo da sequência é:

a) 64
b) 11
c) 13
d) 128

Resposta: A. Os números pares dobram (2, 4, 8, 16) e os ímpares somam 2 (3, 5, 7, 9).

Pergunta 3: Sobre probabilidade
Uma formiga, um rato e uma cobra atravessam um deserto. Sabe-se que a probabilidade da cobra, do rato e da formiga conseguirem percorrer nesse deserto mais que 10 km são, respectivamente, 4/5, 3/5 e 3/4. Considerando os eventos independentes, a probabilidade de somente o rato conseguir percorrer mais que 10 km é:

a) 3%
b) 5%
c) 7%
d) 9%
e) 12%

Resposta: A. As chances do rato conseguir atravessar são 3/5 e as chances da cobra e da formiga não conseguirem são, respectivamente, 1/5 e 1/4. Basta multiplicar os três valores, que também podem ser expressados como 0.60 (ou 60%), 0.20 (20%) e 0.25 (25%). O resultado é 0.03, ou 3%.

Fonte: Portal Na Prática

%d blogueiros gostam disto: